Os sopradores centrífugos ZB VSD Atlas Copco fornecem ar de alta pressão a tanques de sedimentação

Se você conseguisse enxergar a 8,5 m de profundidade dentro dos tanques de tratamento biológico, veria três sopradores centrífugos ZB 130 VSD e dois compressores de parafuso de estágio único mais antigos introduzindo ar comprimido e estimulando o processo de limpeza biológica do conteúdo do tanque.


Centrífugo Turbocompressores centrífugos Sopradores Classe 0

Processo intensivo energético

Mas isso se trata de um processo intensivo energético – especialmente porque os tanques têm o dobro da profundidade normal. A cada ano, a estação trata uma média de 6,5 a 7 milhões de m3 de água de esgoto, um processo que corresponde a 40% do consumo de energia da estação.

Um investimento em eficiência energética e facilidade de manutenção

O ar comprimido necessário para o processo biológico foi fornecido anteriormente por cinco compressores de parafuso de estágio único. Como esses compressores antigos precisavam ser totalmente reformulados, gerando grandes custos, começou a procura por uma nova solução energeticamente eficiente. Os sopradores centrífugos com mancais magnéticos foram considerados a melhor opção porque é necessária uma pressão comparativamente alta para a profundidade excepcional dos tanques. "Somos capazes de produzir pressões mais elevadas com os sopradores centrífugos do que éramos anteriormente com os compressores de parafuso," explica Schweinforth. "Adquirimos os novos sopradores com o objetivo de fazer com que as máquinas agora sejam mais eficientes energeticamente e que a manutenção mais seja fácil," diz o gerente de unidade, Karl-Heinz Schröder.


“Agora que estamos usando os sopradores centrífugos da Atlas Copco, estamos economizando cerca de € 15.000 por ano em manutenção, energia e recursos em comparação com os compressores de parafuso.”

Karl-Heinz Schröder, Gerente de unidade

Ar comprimido sem óleo, conforme necessário

Instalação do soprador ZB VSD em Putzhagen

Os três compressores centrífugos de velocidade regulada geram entre 2.500 e 7.500 Nm³ de ar comprimido sem óleo por hora, dependendo da quantidade de água de esgoto e da carga de poluição. A interação é projetada pelo sistema de controle mestre ES 130 da Atlas Copco. O sistema de controle do processo determina a exigência de ar com base no conteúdo de oxigênio nos tanques. "No momento, ainda estamos utilizando um regulador de pressão constante," afirma Schröder. "Nossa próxima meta é aperfeiçoar este processo regulador e integrar um regulador de pressão variável. Até agora, temos desperdiçado uma grande quantidade de energia, pois estamos operando contra válvulas de passagem fechada a uma pressão constante de 1.020 milibar. Com um regulador de pressão variável, todas as oito válvulas de passagem são interligadas e a pressão pode ser ajustada em linha com a demanda, permitindo, assim, reduzir a pressão usada.