Permitindo a automação

A perfuração automatizada na mineração a céu aberto está aqui. Esta realidade bem-sucedida já está disponível e em operação em todo o mundo. Minas de carvão, cobre, ferro e ouro em grandes países mineradores, como Austrália, África do Sul, Canadá, EUA e Chile, estão atingindo objetivos que foram descartados anteriormente por terem sido considerados inatingíveis. A automação da perfuratriz Pit Viper permite que os operadores atinjam mais metas com segurança e as funções de assistência ao operador, como AutoLevel, AutoDrill, Troca de Haste Automática e controle tele-remoto de várias carretas de perfuração são apenas alguns recursos em uso para obter produtividade uniforme e sustentável, turno após turno. Aqui, destacamos o valor que a automação da Pit Viper está trazendo às minas em todo o mundo.

Desde que a Atlas Copco introduziu seu Sistema de Controle da Perfuratriz (RCS, Rig Control System) em 1998, recursos inovadores baseados nesta tecnologia surgiram regularmente, um após o outro. A automação do controle de várias funções da perfuratriz substitui a experiência humana e várias entradas de joysticks e interruptores por entradas computadorizadas baseadas em sensores e software. O ganho mais notável com a automação é que o sistema de controle não se desviará da forma como foi treinado para funcionar. Enquanto mesmo o perfurador com maior maestria tenha desempenho ligeiramente variável entre uma atividade repetitiva e a seguinte devido à fadiga, distração ou um simples erro, o RCS funciona a cada repetição com precisão confiável. Um perfurador mestre pode fazer mais rápido em uma repetição única, mas para a maioria das tarefas, o sistema automatizado irá superar o perfurador ao final de um turno. Isso também significa que o desempenho operacional automatizado pode ser reproduzido turno após turno, não importa qual operador esteja monitorando a automação. Quinze anos e quatro gerações de RCS depois, os pacotes de automação estão disponíveis para qualquer perfuratriz Pit Viper da Atlas Copco. O conjunto de ferramentas de software de escritório da Atlas Copco, como o Surface Manager, complementa os pacotes de automação com interfaces de geração de relatórios fáceis de usar. O Surface Manager exibe os dados da Pit Viper em um layout sensível para mapear o uso da perfuratriz, avaliar estatísticas de produção, rastrear materiais de consumo e comparar resultados planejados com resultados reais. Apresentados em gráficos e imagens, essas ferramentas de gestão ativas ajudam no treinamento do perfurador e fornecem suporte à tomada de decisões a todas as partes interessadas.

Maior automação significa maior utilização

Paulyn Espíndola, Gerente de Produtos de Soluções de Perfuração da Atlas Copco no Chile, afirma que um dos seus clientes de minas de cobre está aumentando a utilização da perfuratriz por meio da expansão dos lugares onde pode usar suas perfuratrizes. A perfuratriz a diesel Pit Viper 351 da Atlas Copco que foi incorporada a uma frota de cinco carretas de perfuração PV-351 em abril, é a primeira carreta de perfuração com operação tele-remota para operações de mina a céu aberto no Chile. O controle sem fio completo da carreta de perfuração permite que o operador agora perfure em qualquer lugar que quiser na bancada, visto que o perfurador está bem longe da operação de perfuração. Espíndola diz que a mina de cobre tinha um desafio peculiar que somente a automação poderia superar, e o pacote de automação da Pit Viper permitir que a minha escolhesse recursos e pacotes de atualização que correspondiam com precisão às suas necessidades operacionais.


Automação de recursos limitados

Centro operacional tele-remoto

Dustin Penn, Gerente de Linha de Negócios para Soluções de Perfuração da Atlas Copco na Austrália, atende várias minas de minério de ferro com a perfuratriz PV-271 RCS. Algumas foram atualizadas de AutoLevel e AutoDrill para sistemas mais avançados para continuar atingindo metas operacionais e estratégicas. "A questão na Austrália", afirma Penn, "é a força de trabalho limitada e a despesa extraordinária de logística de pessoal para os nossos clientes - tudo, desde o alojamento à alimentação e ao transporte do trabalhador. É um voo de duas horas para chegarem e saírem da mina". O objetivo dessas minas australianas é expandir suas capacidades pelo aumento da frota com as perfuratrizes disponíveis, e isso significa automação. Penn afirma: "Com a automação, o perfurador pode tornar-se o supervisor de uma frota de perfuratrizes, não ser apenas um perfurador operando uma máquina. A automação não apenas reduz os custos de produção, mas também otimiza a manutenção. Várias manutenções, como reabastecimento de água e combustível e inspeção visual, serão realizadas de uma vez, de forma mais eficiente. Combinado com o tempo de parada menor nas mudanças de turno, a automação promove maior utilização da Pit Viper." Penn salienta que a transição para automação requer dedicação de todos os grupos de gestão unificado em uma mina, da alta administração aos departamentos de TI e recursos humanos, perfuração, planejamento e detonação. Então, a mina precisa integrar-se com o fornecedor. Os clientes de Penn estabelecem equipes multidisciplinares para trabalharem com a Atlas Copco, à medida que incorporam a automação às operações da mina.

Leia o relato completo

Produtos e serviços relacionados