Nota máxima para Pit Viper 311

15 de Janeiro de 2015

A nova Pit Viper 311 da Atlas Copco concluiu com sucesso rigorosos testes de campo em uma mina de cobre nos EUA, confirmando o valor das principais características de projeto desta perfuratriz rotativa.

A mais recente integrante da linha de perfuratrizes rotativas para desmonte PV-310 da Atlas Copco - a Pit Viper 311 - concluiu recentemente um teste de campo de seis meses em uma mina de cobre na região sudoeste dos Estados Unidos. O resultado: nota máxima em todos os critérios. O protótipo da PV-311 entrou em serviço na mina com foco na cooperação entre os trabalhadores das minas e os engenheiros da Atlas Copco para testar modificações que ajudariam a aumentar a produtividade e a eficiência.

“A PV-311 não teve problemas para lidar com condições rigorosas, ao mesmo tempo em que atingiu a profundidade planejada e maximizou a qualidade do furo perfurado”

Maureen Bohac, Gerente de Produto, Grandes Perfuratrizes para Furos de Desmonte da Atlas Copco

A PV-311 perfurou furos de 270 mm (10 5/8") e 311 mm (12 1/4") de diâmetro - o maior furo que esta carreta de perfuração pode perfurar - em bancadas de 15 m de altura. Os furos de 270 mm de diâmetro foram perfurados até 17 m de profundidade com 2 m de subfuração, enquanto os furos de 311 mm foram perfurados até 20 m de profundidade, com 3 m de subfuração. Cinco diferentes malhas de perfuração foram usados, dependendo do local de teste na cava. A unidade de perfuração normalmente fez de 35 a 40 furos, totalizando 365 metros perfurados, em um turno de 12 horas. A disponibilidade média foi de 90 a 95%. A rocha encontrada na mina é típica da maioria das aplicações de cobre, não homogênea e com resistência à compressão de cerca de 250 a 300 MPa. Foram utilizadas brocas Tricônicas da Atlas Copco Secoroc, com cada broca durando de 2,5 a 3 dias. Na sequência, a perfuratriz protótipo foi comprada pela mina.

“Um dos fatores que contribuiu foi o fato de a PV-311 ser projetada de modo que as brocas sejam trocadas acima da plataforma de perfuração, mesmo ao perfurar um furo em single-pass de 20 m de profundidade.”

Maureen Bohac

Isso permitiu que os operadores se concentrassem em fazer e quebrar as conexões do tubo a cada vez.

A PV-311 durante o teste de campo em uma mina de cobre dos EUA. Várias características de projeto combinadas permitiram que a perfuratriz perfurasse furos de 20 m com qualidade excelente, e mais.

A PV-311 durante o teste de campo em uma mina de cobre dos EUA. Várias características de projeto combinadas permitiram que a perfuratriz perfurasse furos de 20 m com qualidade excelente, e mais.

“Além disso, esse protótipo incluiu a nossa embreagem hidráulica opcional, projetada para reduzir o consumo de combustível durante operações que não são de perfuração, e isso teve um grande impacto. Outro fator que influiu na eficiência de combustível foi a funcionalidade de perfuração automática do sistema de controle da carreta de perfuração, RCS (Rig Control System).”

Maureen Bohac

A eficiência de combustível foi aproximadamente 20 por cento melhor do que as outras carretas de perfuração no local. Além disso, comprovou-se que a cabine silenciosa e confortável da PV-311 é apreciada pelos operadores

“A eficiência de combustível foi aproximadamente 20 por cento melhor do que as outras carretas de perfuração no local. Além disso, comprovou-se que a cabine silenciosa e confortável da PV-311 é apreciada pelos operadores”

Maureen Bohac

A PV-311 agora está em perfuração de produção em minas nos três continentes, em aplicações que incluem cobre, carvão e ferro.