Otimização nas pedreiras, os noruegueses mostram o caminho

10 de Junho de 2015

A Brønnøy Kalk AS, proprietária da pedreira de calcário de Akselberg no norte da Noruega, atingiu a regularidade e a confiabilidade no processo de produção - o que, por sua vez, ajudou a aumentar a eficiência ao longo de toda a operação.

A pedreira Akselberg, na Noruega central, a cerca de 400 km ao norte de Trondheim, produz cerca de 1,8 milhões de toneladas de carbonato de calcário anualmente, um produto amplamente utilizado na indústria de papel europeia.

Desde que foi iniciado em 1997, esse poço de 2,5 km comprimento e 1,5 km de largura tem melhorado regularmente a produtividade de perfuração e desmonte. Hoje, no entanto, a equipe de Brønnøy está obtendo resultados ainda melhores devido ao planejamento profissional e à meticulosa atenção a todas as etapas do processo de produção.

Como Raymond Langfjord, Gerente de Produção no local, explica: "Tudo aqui começa com a perfuração. Se fizermos isso errado, haverá consequências para todas as fases da nossa operação - do desmonte e carregamento, passando pela britagem e, por fim, à qualidade dos nossos produtos."

"A nossa visão sempre foi atingir a utilização ideal do calcário aqui e isso requer a otimização de todo o processo de escavação. É por isso que estamos muito contentes por obter os melhores resultados possíveis com os nossos equipamentos e ver o efeito de tudo isso sobre a eficiência total da nossa operação."

Precisão nas bancadas

O equipamento no local consiste em unidades de perfuração de perfuratriz a céu aberto SmartROC da Atlas Copco completas, com Sistema de Navegação de Furo (HNS, Hole Navigation System), função AutoPos e Gerenciador ROC, que cria planos de perfuração e relatórios. O HNS e o AutoPos, juntos, são funções essenciais que permitem ao operador localizar e embocar o furo com ângulos precisos na primeira vez, sempre.

“Tudo aqui começa com a perfuração. Se fizermos isso errado, haverá consequências para todas as fases da nossa operação - do desmonte e carregamento, passando pela britagem e, por fim, à qualidade dos nossos produtos”

Raymond Langfjord, Gerente de Produção

Existem três carretas de perfuração trabalhando na pedreira - uma SmartRig ROC F9C, uma SmartROC T40 e uma SmartROC T45 - perfurando em bancadas de 15 m de altura. Os furos são perfurados com uma inclinação de 10°. Cinco linhas são perfuradas com um fardo de 2,8 m e um espaçamento de 3,5 m. Após o carregamento e a detonação, 20.000 a 80.000 toneladas de rocha são removidas juntamente com cada para desmonte e a pedreira realiza uma média de 10 desmontes por mês.

As carretas de perfuração usam hastes de perfuração T51 e coroas de botões balísticos de 89 mm da Atlas Copco Secoroc e não têm problemas para penetrar no manto residual. Pelo contrário, a rocha é relativamente fácil de perfurar, com taxas de penetração de 1,8 a 2,5 m por minuto. As coroas precisam ser afiadas novamente a cada 250 m e, nas melhores condições, uma coroa pode durar até 6.000 m.

Mas se a rocha é fácil de perfurar, Langfjord explica que é mais difícil fazer o desmonte e que furos paralelos são vitais para o sucesso. "Precisamos garantir que todos os furos sejam perfurados com a profundidade e a inclinação corretas e que sejam absolutamente paralelos", afirma. "Além disso, os fundos de furo precisam estar posicionadas no exatamente no ponto certo. Qualquer desvio, mesmo que seja pequeno, irá comprometer o sucesso da rodada de desmonte. E coo essas rodadas são espalhadas por uma área tão grande, pequenos erros podem tornar-se grandes problemas."

A importantíssima última linha

Felizmente, os perfuradores podem atender a essas demandas exigentes usando o sistema de HNS das carretas de perfuração juntamente com a função AutoPos.

"A última linhas de furos, que é sempre na parte traseira da bancada, é a mais importante", continua Langfjord. "Essa é a linha mestra e precisa estar certa. Se não estiver, isso irá afetar negativamente o restante.

"Com o HNS podemos importar o plano de perfuração que foi criado no Gerenciador ROC usando uma interface USB e o sistema ajuda o operador a navegar a carreta de perfuração até o local preciso do furo. Então, a função AutoPos da carreta de perfuração configura a inclinação correta do avanço, garantindo que a coroa irá atingir o ponto certo no solo ao toque de um botão. O operador começa a perfuração e simplesmente muda para o modo automático, daí a carreta de perfuração faz o resto sozinha." Dessa forma, a função AutoPos minimiza o risco de erro humano. Leia o relato completo em Mineração e Construção on-line.

Carretas de perfuração a céu aberto 2015