Segurança nas bancadas

23 de Maio de 2016

No Chile, a Codelco continua implementando novas iniciativas em todas as suas minas para aumentar a segurança dos funcionários e aumentar o controle de risco na mineração dos seus depósitos. Outro exemplo é a mina Radomiro Tomic, que está introduzindo a tecnologia de controle remoto que pode revolucionar as suas operações.

Proteger os mineiros dos perigos dos ambientes perigosos é uma tendência global crescente e a mina Radomiro Tomic da Codelco está na frente. Em um esforço constante para tornar a vida mais segura para seus mineiros nessa operação de cobre a céu aberto, RT, como a mina é conhecida, investiu em equipamentos de perfuração em bancadas controlado remotamente.

A mina comprou recentemente uma frota de cinco unidades de perfuração da SmartROC D65 da Atlas Copco, juntamente com uma unidade BenchREMOTE, fazendo dela a primeira na América Latina a introduzir perfuração em bancadas com controle remoto. A decisão é vista como um marco para a RT e também para a Codelco, reafirmando a estratégia do grupo de aplicar novas tecnologias para atingir processos mais seguros e produtivos.

Localizada a 3.000 m acima do nível do mar, no deserto de Atacama, a cerca de 250 km a nordeste de Antofagasta e a 40 km ao norte de Calama, Radomiro Tomic produz catodos de cobre uma taxa de cerca de 330.000 toneladas por ano.

Com as novas unidades de perfuração no lugar, complementadas pela unidade BenchREMOTE, a mina está agora avaliando se o sistema pode substituir completamente suas operações de perfuração em bancada tradicionais. Claudia Domínguez, Gerente de Segurança e Saúde Ocupacional em RT, salienta que a mina trabalhou arduamente nos últimos anos para melhorar a consciencialização sobre a segurança.

“Convencemos todos os nossos funcionários a tomarem a decisão certa e pararem suas atividades se encontrarem riscos que estejam além do nosso controle, como quedas de rochas súbitas”, diz ela. “Em relação a isso, a BenchREMOTE nos ajuda a remover a barreira final para prevenir acidentes, pois ele elimina completamente o risco.

“Houve vários acidentes graves no Chile, portanto essa tecnologia da Atlas Copco é mais do que bem-vinda. Como ela irá melhorar as nossas condições de trabalho, será muito apreciada pelas pessoas que fazem o trabalho.”

Claudia Domínguez, Gerente de Segurança e Saúde Ocupacional em RT

O Gerente da mina, Raúl Galán, concorda e acrescenta que a mudança de perfuração em bancada convencional para controle remoto com a SmartROC D65 é uma estratégia que cai como uma luva. "Temos um plano apoiado em quatro pilares - segurança, inovação, desempenho e excelência operacional”, explica ele. “A tecnologia cai como uma luva, porque é um sistema computadorizado de alta produtividade que também incorpora um alto nível de proteção para os nossos operadores. Isso nos dá tranquilidade."

Além disso, ele afirma que a introdução da perfuração com controle remoto acompanha o tempo. “A indústria de mineração mudou. Estamos passando por um novo ciclo de baixos preços do cobre e isso significa que precisamos nos adaptar rapidamente para vencer os desafios e permanecer competitivo. “Esse equipamento nos ajuda a fazer isso. Ele é mais econômico e permite que até três unidades de perfuração sejam controladas à distância ao mesmo tempo, o que significa que também obteremos produtividade mais alta."

Testes em andamento

Atualmente, a mina está no processo de teste e avaliação do sistema, mas a administração está confiante de que as expectativas serão atingidas. Se tudo correr bem, as novas unidades de perfuração podem até ser usadas no modo totalmente automático entre turnos e durante pausas para refeições, aumentando ainda mais a produtividade. Em comparação com a frota anterior, incluindo a ROC L8 da Atlas Copco, a mina também almeja aumentar a disponibilidade.

Danilo Díaz, Engenheiro Sênior, Gerenciamento da Mina em Radomiro Tomic, afirma: "Em comparação com as nossas ROC L8, esperamos ver uma redução no número de incidentes e também ter vida útil mais longa e melhor desempenho do equipamento, componentes e peças. Também esperamos maior disponibilidade, custos anuais de manutenção mais baixos e suporte e treinamento constante para nossos operadores e pessoal de manutenção."

A mina tem plena expectativa de que os operadores abracem a nova tecnologia e acostumem-se rapidamente ao trabalho dentro do veículo BenchREMOTE, distantes das malhas de perfuração nas bancadas. As carretas de perfuração trabalharão em diferentes seções do poço. Os operadores irão trabalhar em pares e Díaz diz que ele quer que o máximo possível de operadores tenha vez para experimentar, a fim de obter feedback sobre possíveis questões operacionais e de manutenção. Leia o artigo completo em Mineração e Construção on-line

2016 Mineração Relato de cliente