Solucionadores de problemas no metrô de Doha

14 de Junho de 2016

Os engenheiros trabalhando no novo super metrô que está sendo construído em Doha, capital do Catar, estão utilizando a tecnologia de perfurações de superfícies para resolver um dilema subterrâneo comum.

Compacta e potente: a FlexiROC T20 R perfurando furos de drenagem no espaço confinado do túnel da Linha Verde.

A primeira fase de construção do novo Metrô de Doha está progredindo de acordo com o plano, conforme três dos quatro túneis da rede começam a tomar forma. A Linha Verde, também chamada de Linha da Educação, foi um dos primeiros projetos a ser executado. É constituída por tubos duplos passando por Dora começando no sul, antes de virar para oeste, passa pelo distrito universitário e chega ao estádio esportivo Al Rayyan. Essa também é a linha que irá transportar muitos milhares de fãs de futebol de e para o estádio durante a Copa do Mundo da FIFA em 2022. Tal como todos os túneis do sistema, a Linha Verde tem diâmetro interno de 6,17 m e um comprimento subterrâneo total de 37 km (2 x 18,5 km). Também passa a uma profundidade de cerca de 20 m através de rocha macia - uma mistura de formações de calcário Simsima, xisto Midra e Rus.

O andamento está dentro do cronograma, mas os túneis são constantemente submetidos a intensa infiltração do lençol freático, o que representa um grande desafio para os engenheiros, notavelmente nos pontos de conexão para muitas passagens de emergência transversais em todo o alinhamento. Essas passagens, que têm 10-15 m de comprimento e são construídas usando miniescavadeiras, não podem ser conectadas aos túneis principais até que o solo ao redor seja completamente drenado - uma tarefa que requer tecnologia e experiência de perfuração especiais. O trabalho é difícil, mas está sendo realizado com sucesso pelo empreiteiro do projeto PSH JV, uma joint venture da Porr Bau GmbH da Áustria, Grupo Saudi Binladin da Arábia Saudita e Hamad Bin Khalid Contracting (HBK) do Catar. Ferenc Lavicska, Gerente da Planta da PSH JV, diz à M&C: "O foco aqui é qualidade, confiabilidade, segurança e sustentabilidade. Por isso, quando estávamos à procura de uma maneira de resolver o problema da água para escavar as passagens transversais, precisávamos da melhor solução que pudéssemos encontrar".

“O equipamento é muito eficaz e robusto, o que é necessária para esta aplicação. ”

Ferenc Lavicska, Gerente da Planta, PSH JV

A coisa certa

Várias soluções diferentes foram avaliadas até que os empreiteiros decidissem pela que consideraram ter mais chances de sucesso - unidades de perfuração FlexiROC T20 R em conjunto com o sistema de perfuração Symmetrix e o suporte técnico 24 horas por dia, 7 dias por semana, todos fornecidos pela Atlas Copco. "Durante este processo de seleção, tivemos um debate técnico muito bom com a Atlas Copco e eles nos mostraram que poderiam fornecer uma solução que correspondia às nossas exigências", afirma Lavicska. "Desde então, tornou-se óbvio que tomamos a decisão certa". As unidades de perfuração FlexiROC T20 R, que são essencialmente concebidas para utilização em superfície, mostrou-se bastante adequada para esta aplicação subterrânea. São unidades compactas projetadas com avanço curto e personalizado, permitindo o trabalho livre no espaço muito confinado dentro dos túneis. Equipadas com a potente perfuratriz COP 1140, que tem elevado torque do motor de rotação, elas podem perfurar em qualquer ângulo. Podem também ser utilizadas em conjunto com tubos de revestimento permanentes (depois de uma simples modificação do sistema de suporte do aço da broca) e têm manutenção excepcionalmente fácil.

O horizonte de Doha à noite

O horizonte de Doha à noite

Drenagem do solo

Uma das equipes de operação da FlexiROC T20 R com especialistas da Atlas Copco durante uma sessão de treinamento recente em Doha.

As carretas de perfuração FlexiROC T20 R começam a perfurar os furos de drenagem imediatamente depois que o último pórtico da TBM passou pelos pontos de instalação da passagem transversal. Os furos têm 76 mm de diâmetro e são instalados principalmente nas paredes do túnel a uma profundidade de 12 a 14 m. Até 10 furos são concluídos por dia em dois turnos de 10 horas. Durante essas operações essenciais de drenagem, as carretas de perfuração também provaram ter grande eficiência de combustível, consumindo somente 20 a 25 litros por hora. Além disso, todas as ferramentas perfuratrizes, incluindo hastes de perfuração R32, punhos e coroas de perfuratrizes, demonstram adaptação perfeita à aplicação e são duradouras. Há relatos de que a vida útil das coroas, por exemplo, é de 1 a 1,5 meses após o uso contínuo.

“Todo o arranjo está funcionando muito bem. O equipamento não está apenas fazendo o trabalho, mas também se mostrando muito robusto, o que é necessário para essa aplicação. Estamos muito satisfeitos com o progresso.”

Ferenc Lavicska, Gerente da Planta, PSH JV

Equipamento para o segmento de rochas ornamentais 2016 Relato de cliente Carretas de perfuração a céu aberto Surface construction & quarrying