Quanto maior melhor: esses caminhões Minetruck MT6020 de 60 toneladas aumentaram a capacidade e também a produtividade nas operações de transporte na mina Aljustrel.

Caminhão do futuro

13 de Junho de 2016

A mina de cobre/zinco Aljustrel de Portugal está de volta aos negócios e está prestes a se tornar uma produtora de nível mundial. Uma estratégia para aumentar, sucessivamente, a capacidade e a eficiência da frota de transporte está se provando um fator-chave no sucesso recém-descoberto da mina.

Após dobrar a produção de 1,2 Mt em 2012 para 2,4 Mt em 2015, a mina de cobre/zinco Aljustrel parece estar bem na estrada para um futuro brilhante. Uma vez fechada devido à queda na economia, a mina recebeu claramente uma nova vida dos proprietários atuais, a Almina Aljustrel, e uma nova estratégia de administração. Um dos motivos do recente aumento de produção era uma um foco forte na eficiência da operação de transporte, aliada a uma decisão de mudar de caminhões de 40 toneladas para 60 toneladas, começando em 2015 com quatro veículos Minetruck MT6020 da Atlas Copco. Esses caminhões não apenas ajudaram a aumentar a capacidade, mas também reduziram o congestionamento de trânsito nas rampas. A experiência agora levou à compra de três outros caminhões Minetruck MT6020, completando a frota que servirá de base para o futuro desenvolvimento de Aljustrel.

Maior eficiência

Joaquim Barreiros, Gerente de Produção na EPDM, a empresa irmã da proprietária encarregada de equipamentos e manutenção, explica a importância da estratégia de transporte para o planejamento da produção. “Nosso objetivo é reduzir o tamanho total da frota, aumentando a capacidade de cada caminhão, ao mesmo tempo melhorando a nossa produção, fazendo mais viagens por turno”, diz ele. “O Minetruck MT6020 é perfeitamente adequado para essa finalidade. Eles são maiores e mais rápidos, e isso nos permitirá desativar sucessivamente nossos caminhões de 40 toneladas.” Existem duas grandes jazidas no local, Moinho e Feitais, ligadas por um túnel transportador com 4 km de comprimento. Ambas as seções estão em produção utilizando o método de bancada e preenchimento com unidades de perfuração Boomer e Simba, da Atlas Copco. As carretas de perfuração Boomer são utilizadas para estradas de acesso de 5 m x 5 m saindo da rampa principal, ao passo que as carretas de perfuração Simba são usadas para perfuração de produção de furos longos.

Caminhões a diesel