A equipe na mina de Ouro Stawell, incluindo técnicos e especialistas de produto da Atlas Copco, posam orgulhosamente para uma foto do grupo com a nova Scooptram ST18.

Scooptram ST18 – Novo padrão de ouro da Austrália

22 de Agosto de 2014

A mina Stawell Gold, na Austrália, é a primeira mina do mundo a receber a recentemente lançada carregadeira Scooptram ST18 da Atlas Copco. Grant Wells, superintendente de Manutenção Subterrânea, está otimista sobre o novo membro da frota e sobre sua futura contribuição para a produção.

Carregadeiras a diesel

Dizer que Grant Wells viu muitas mudanças na mina de Ouro Stawell em Victoria, Austrália oriental, seria pouco. Uma coisa que ele provavelmente não esperava ver era uma máquina que mudaria a sua opinião sobre o mundo das carregadeiras subterrâneas. Wells tem sido Superintendente de Manutenção Subterrânea em Stawell nos últimos oito anos e trabalhou com cinco proprietários da mina. A proprietária atual, Crocodile Gold, com sede no Canadá, construiu uma base de produção de ouro significativa na Austrália, ao redor de Stawell e Fosterville em Victoria, e o campo de ouro reativado Cosmo no Território do Norte. Em Stawell, um remanescente de nível superior produziu 141.126 toneladas a uma taxa média de 2,49 gramas por tonelada no primeiro trimestre deste ano e a produção do local é de cerca de 40.000 ozpa. Acaba de chegar a recém-lançada Scooptram ST18 da Atlas Copco, uma LHD de 18 toneladas que Wells acredita que vai estabelecer um forte perfil no exigente mercado australiano.

“Vejo como um grande passo no seu desenvolvimento de carregadeiras [da Atlas Copco]”

Grant Wells, Superintendente Manutenção Subterrânea

“Essa unidade promete níveis de desempenho comparáveis com os níveis de referência do setor. Até onde sei, eles estão a muitas milhas acima de onde estavam [com as gerações anteriores das LHDs da Atlas Copco]. Penso que isso é realmente algo que vai concorrer no mercado”

Grant Wells

A primeira em Crocodile Gold

Stawell foi a primeira empresa a receber uma entrega da nova Scooptram ST18 em todo o mundo, imediatamente à frente do empreiteiro de mineração subterrânea, Byrnecut, com a segunda unidade. Lançada oficialmente na Austrália, na recente Conferência de Operadores Subterrâneos AusIMM 2014, em Adelaide, a Scooptram ST18 completa a linha de carregadeiras subterrâneas de nova geração da Atlas Copco. Foi introduzida como a mais produtiva LHD da sua classe, projetada de modo a carregar de forma eficiente o Minetruck MT6020, líder de mercado, com capacidade de 60 toneladas da Atlas Copco. As duas unidades compartilham muitas peças e componentes do sistema de controle, o que pode reduzir substancialmente o custo total de propriedade. A caçamba e o projeto exclusivo do braço, combinados com bombas de deslocamento variável, proporcionam operações seguras e eficientes. Isso, juntamente com o comprovado Sistema de Controle da Perfuratriz da Atlas Copco, que monitora, suporta e controla todos os aspectos da operação, resulta em penetração superior na pilha de entulho, menor desgaste da máquina e ciclo de carregamento globalmente mais rápido e produtivo.

Boa resposta inicial

A Atlas Copco também tem trabalhado com Stawell no treinamento de operadores, com um simulador específico que estava em exposição na Conferência de Operadores Subterrâneos. "Esta máquina será integrada diretamente à frota," afirmou Wells.

“Os operadores mudarão das carregadeiras antigas [de outro fabricante] para esta nova, então devem se sentir à vontade o suficiente para poderem trocar e operar as mesmas funções operacionais sem quaisquer problemas”

Grant Wells

Ele acrescenta que a exposição inicial do usuário à cabine foi positiva. "O primeiro comentário que recebemos dos operadores foi ‘Uau, é tão confortável para sentar e operar isto’. Agora precisamos fazer a conversão para um ambiente de produção, claro, mas as respostas iniciais foram boas."

Uma máquina inteligente

A ST18 é uma ‘máquina inteligente’. O extenso diagnóstico embarcado de integridade e operação pode fornecer uma imagem em tempo real do desempenho da unidade. Um avançado serviço de auditoria RigScan oferece uma visualização não intrusiva das condições de operação e do desempenho do equipamento, enquanto o sistema de Monitoramento Remoto pode disponibilizar os dados de produção e manutenção por meio de uma interface Web amigável.

Faremos downloads completos nela”, disse Wells. “Temos um sistema Wi-Fi instalado para que todas as informações sejam baixadas e exibidas no painel para que operadores e equipes as visualizem e possam ver o que a máquina realmente fez no turno atual e nos turnos anteriores, quantas toneladas ela moveu e quais foram a disponibilidade e a utilização. Também teremos uma tela no posto de inspeção, na qual os dados serão exibidos para os operadores examinarem todos os dias. Acho que vai haver uma competição interna, certamente!"