Maison Gilliard

A Casa Gilliard trata de todo o processo de vinificação internamente, desde o cultivo da uva ao engarrafamento.

Descubra os nossos geradores Leia mais histórias de clientes

Casa Gilliard

A tradição da Casa Gilliard na Suíça remonta ao século XIX, com o atualmente famoso vinho Dôle des Monts. A adega trata de todo o processo de vinificação internamente, desde o cultivo da uva ao engarrafamento. Alcançar um vinho da melhor qualidade requer o controlo de todo o processo de produção. Os mestres enólogos da Gilliard confiam na Atlas Copco para os ajudar nesta tarefa.

A Casa Gilliard equipou o respetivo local de produção com dois compressores de acionamento de velocidade variável (VSD) e um gerador de nitrogénio. Graças a esta instalação, a adega produz nitrogénio no local, eliminando a necessidade de comprar cilindros de nitrogénio. As vantagens são óbvias: a casa Gilliard poupa tempo, dinheiro e energia graças à geração de nitrogénio no local.

Nitrogénio, o ingrediente oculto

Cultivar a uva, vindimar e produzir vinho: o delicado processo de produção de vinho termina sempre no engarrafamento e este requer ar comprimido e nitrogénio. O ar comprimido fornece energia a várias ferramentas, tais como as válvulas, que são essenciais na manipulação de líquidos. Embora não seja tão profusamente conhecido, também se utiliza nitrogénio para dois processos diferentes. Em primeiro lugar, o nitrogénio força a saída do oxigénio das garrafas vazias e, em segundo, ajuda a remover o dióxido de carbono antes de encapsular a garrafa.

Antigamente, a casa Gilliard comprava nitrogénio engarrafado para as suas produções. Hoje em dia, a adega trabalha com um gerador de nitrogénio ligado a um compressor VSD e a empresa poupa tempo, dinheiro e muita energia. "Pelos nossos cálculos, poupamos 10 000 francos suíços (cerca de 7500 €) por ano, apenas em custos de energia", afirma o enólogo Hansueli Pfenniger. "Poupamos também na administração e no tratamento da substituição de garrafas e no armazenamento desses cilindros de nitrogénio”.

O ar comprimido está em quase toda a parte

O ar comprimido é utilizado principalmente para o engarrafamento, a rotulação e a vedação das garrafas. Na verdade, "todas as máquinas da nossa fábrica necessitam de ar comprimido, desde o despaletizador à máquina de rotular", esclarece Roland Crittin, diretor do departamento de tecnologia da Gilliard. Contudo, o ar comprimido é utilizado, na sua maioria, nas grandes prensas de lagar de 10 000 litros. "Este volume elevado requer uma potência considerável. Substituímos os nossos velhos compressores por uns novos da Atlas Copco antes da colheita de 2010. Com estes novos compressores notamos uma poupança de tempo de 20%". Na produção de vinho, a necessidade de ar comprimido varia significativamente, assim sendo, os compressores VSD da Atlas Copco são ideais para adaptar o fluxo de ar mediante as necessidades, em qualquer altura.

A Casa Gilliard: os seus domínios

A paixão da casa Gilliard pelo vinho reflete-se nas suas vinhas que se estendem em socalcos de mais de 50 hectares. As videiras estão alinhadas em declives médios na margem direita do rio Ródano, entre Sion e Lienne, a uma altitude entre 550 e 680 m. A vinha assemelha-se a um mosaico de socalcos espalhados pela encosta íngreme: uma paisagem espantosa e inspiradora. Estes socalcos estão orientados a sul, o que os torna ideais para a produção de videiras de alta qualidade. A vindima é feita manualmente e as uvas são transportadas de helicóptero.