Como minimizar o retrabalho por meio do monitoramento do torque e do ângulo

As ações de recall e de retrabalho na sua linha de montagem podem ser evitadas com o monitoramento da qualidade durante o processo de aperto, detectando assim avarias imediatamente.

11 de Outubro de 2018

Ferramentas e Soluções Industriais

Existem várias maneiras de unir peças e componentes, como, por exemplo, colagem, rebitagem e soldagem. No entanto, de longe, o método mais comum de unir componentes é usar um parafuso para prender os membros comuns com uma porca ou diretamente em um furo rosqueado em um dos componentes. As vantagens deste método são a simplicidade de design e montagem, fácil desmontagem, produtividade e por fim – CUSTO!

Como calcular o torque?

O torque de aperto é por motivos práticos, o critério normalmente utilizado para especificar a pré-tensão no parafuso. O torque ou momento de força, pode ser medido dinamicamente, quando o parafuso é apertado, ou estaticamente, verificando o torque com uma chave de torque depois de apertar.

Torque = FORÇA x DISTÂNCIA



As especificações de torque variam consideravelmente dependendo das exigências de qualidade da união. Uma união essencial para a segurança em uma suspensão de roda de uma motocicleta, por exemplo, não pode falhar e, por conseguinte, está sujeita a requisitos de tolerância muito mais rigorosos.

Um maior nível de controle de qualidade é alcançado com a adição do ângulo de aperto aos parâmetros medidos. Na zona elástica do parafuso, pode ser usado para verificar se todos os membros de uma união estão presentes, como, por exemplo, se uma gaxeta ou uma arruela não estão ausentes. Além disso, a qualidade do parafuso pode ser verificada medindo o ângulo de aperto, antes do nível de ajuste, bem como no torque final.

Em sofisticados processos de aperto, o ângulo também pode ser usado para definir o ponto de rendimento e permitir o aperto na área de plástico do parafuso.

Como medir o torque?

As medições de torque são feitas de acordo com um dos dois princípios:

  1. Medição estática, quando o torque de aperto é verificado após o processo de aperto
  2. Medição dinâmica, quando o torque é continuamente medido durante todo o ciclo de aperto.

Como conclusão, o monitoramento da qualidade tradicionalmente envolve a medição do torque, que gera a carga de fixação. No entanto, os resultados de aperto são influenciados também pelas variações no atrito e nos componentes. Por isso, uma segunda dimensão, mais comumente o ângulo de rotação, precisa ser medida também. Controlar e monitorar tanto o torque como o ângulo possibilita a detecção de falhas tais como a falta de gaxetas, roscas cruzadas, problemas de materiais e erros do operador.
Assegurando a qualidade no processo de aperto, você minimizará ações custosas de recall, retrabalho e reclamações de garantia, evitando que sua valiosa reputação seja prejudicada.

Você pode encontrar informações completas baixando nosso e-book abaixo!

  • Pocket Guide to Tightening Technique 3.2 MB, PDF